Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :

Óleo de Coco Emagrece? Nutricionista Responde

Será que o óleo de coco ajuda a emagrecer? Ele atua como termogênico? Acelera o metabolismo? Posso usar sem restrição?

Todas essas dúvidas são muito comuns, até por que o óleo de coco nunca foi tão comentado quanto atualmente. Pensando em responder a esses e outros questionamentos das nossas leitoras, convidamos a nutricionista Débora Oliveira para um bate-papo sobre as funcionalidades desse alimento. Para saber mais, é só continuar lendo esse artigo.

Óleo de coco emagrece? Nutricionista responde

 

1.  O Que São Termogênicos?

Nutricionista Débora Oliveira: O termogênico é uma suplementação, nessa suplementação vai conter alguma substância que provocará termogênese. A termogênese, por sua vez, é a mudança da temperatura corporal.

Acredita-se que quando ocorre essa mudança de temperatura corporal, há um gasto maior de energia.

2. Como Podemos Inserir o Óleo de Coco na Nossa Alimentação?

Nutricionista Débora Oliveira:  Ele pode ser colocado em diversos momentos do dia, como na preparação das proteínas, por exemplo.

É uma ótima alternativa, principalmente àqueles que não são adeptos aos grelhados e cozidos. O óleo de coco aguenta mais tempo de exposição ao fogo, por isso é mais recomendado que outros óleos, mas desde que seu uso seja moderado e adequado levando em consideração as características de cada pessoa.

Depois desse boom do óleo de coco como um alimento benéfico à saúde, muitas pessoas começaram a usá-lo sem recomendação e acreditando que ele é a solução para muitas questões de saúde, sendo que cientificamente ainda não se sabe quais as consequências dessa suplementação, visto que o óleo de coco é uma gordura saturada e, em acesso, pode aumentar o colesterol.

3. Quais os Benefícios do Óleo de coco? Ele Ajuda no Processo de Emagrecimento?

Nutricionista Débora Oliveira: Ele é um diferencial, se comparado com as demais gorduras.

Tem triglicerídeos de cadeia média em sua composição, isso quer dizer que há uma absorção maior dos nutrientes e uma ação maior na lipólise (que é a quebra de gordura), então foi por isso que se afirmou que o óleo de coco é considerado um termogênico, mas ainda estão sendo desenvolvidos estudos científicos nessa área para que se tenha certeza dessa afirmação.

Se esse indivíduo deseja melhorar sua queima de gordura e acelerar seu processo de emagrecimento, além do uso do óleo de coco, ele deve associar outras fontes como dieta e exercícios físicos.

A pessoa que tem como principal objetivo o emagrecimento, deve ter muito cuidado ao usar essa substância, pois ela continua sendo uma gordura saturada; é um alimento calórico e seu excesso pode causar aumento de colesterol, por isso é necessário cautela, tanto nesse caso quanto para todos os outros alimentos.

4. Há Algum Risco em Consumir Óleo de Coco? Todos Podem Fazer Uso?

Nutricionista Débora Oliveira: Por muito tempo o óleo de coco foi considerado o bonzinho da dieta e que todas as pessoas podiam fazer uso dele para diversos objetivos, porém, recentemente saiu um posicionamento da ASBRAN (Associação Brasileira de Nutrição) afirmando que as pessoas que já tem o colesterol elevado, são cardiopatas ou tem algum problema em relação a isso devem ter cuidado ao uso do óleo de coco, até por que trata-se de uma gordura saturada.

Então, essas pessoas, dentro desses quadros clínicos devem ter uma restrição ao seu uso. Resumindo: o óleo de coco é muito bom e recomendado, mas não para esse público, principalmente se seu uso for sem a orientação de um profissional.

O uso deve ser adequado à dieta de cada um. Não é por que ele vai causar uma termogênese que não deve estar adequado. É um alimento calórico, então devemos observar a quantidade de calorias diárias para que não ultrapasse e acabe trazendo um resultado contrário.

É bom saber, também, qual o objetivo da pessoa, se ela visa o emagrecimento e qual o seu percentual de gordura. Antes de inserir o óleo de coco na alimentação, temos que levar em consideração todos esses fatores, pois pode ser que cause um efeito negativo a longo prazo.

5. Muitas Celebridades Estão Recomendando o Uso do Óleo de Coco no Café. Qual a Resposta Científica Para Isso?

Nutricionista Débora Oliveira: A questão do uso do óleo de coco misturado à cafeína ainda não tem comprovação científica, entretanto a cafeína age como estimuladora do sistema nervoso central, seu consumo possibilita um maior estado de alerta e pode melhorar o desempenho.

As pessoas acreditam que, juntando esses dois alimentos termogênicos, estarão acelerando seu próprio metabolismo na queima de gordura, o que não é uma certeza no campo da nutrição.

 

6. Então, Qual Seria a Melhor Forma de Consumir um Termogênico?

Foto por Javi_indy – Freepik.com

Nutricionista Débora Oliveira: Um suplemento que realmente funciona na estimulação da perca de peso, auxilia na queima de gordura e que causa um efeito termogênico é a cafeína – substância encontrada no café- ela age como estimuladora do sistema nervoso central e seus resultados já são conhecidos e comprovados cientificamente.

Cada pessoa tem suas particularidades, principalmente quando o assunto é saúde, por isso, questões como essa devem ser analisadas caso a caso.

A ingestão de cafeína em grande quantidade pode trazer resultados negativos e gerar dependência, por isso é importante ter cuidado e consultar a opinião de um profissional.

É bom sempre bater na tecla e lembrar que tudo pede equilíbrio. Não é por que um alimento tem fama de bonzinho que deve ser ingerido em doses altas, isso vale para o café, óleo de coco e qualquer outro.

Se consumido além do recomendado, o café pode causar taquicardia, tremores e transpiração excessiva. Ou seja, deve haver cuidado no seu uso, pois trata-se de uma substância estimulante. Ela dá resultado sim, mas desde que associado a um treinamento físico e uma dieta personalizada.

Gostou das dicas da nutri? Então deixe seu comentário e siga Débora Oliveira no instagram, lá você vai encontrar conteúdos sobre dieta, suplementação e dicas para uma vida saudável  sem complicações.

Fonte: Débora Oliveira,  Associação Brasileira de Nutrição 

Comentários