Qual a Melhor Dieta para Emagrecer? Nutricionista Responde

Você tem dúvidas sobre a melhor dieta para emagrecer?

Investir em uma alimentação que seja adequada às suas necessidades vai te ajudar a alcançar seus objetivos, mantendo o peso adequado, equilibrando os níveis de gordura corporal e evitando complicações na sua saúde.

Muitas pessoas se perguntam qual a melhor dieta para emagrecer: seria a dieta Lowcarb? Ou a melhor dieta para emagrecer seria o jejum intermitente? Podemos cortar de vez os carboidratos?

Convidamos a nutricionista Débora Oliveira para responder essas e outras dúvidas dos nossos seguidores!

Nutricionista Débora Oliveira

Continue lendo!

1. Qual a Melhor Dieta Para Quem Faz Jejum Intermitente?

Foto por Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: O jejum intermitente já é um tipo de dieta.

A melhor dieta para emagrecer é aquela que a pessoa tem melhor adesão e que traga resultados; proporcionando redução de gordura e diminuindo o mínimo possível de massa magra, com resultados que sejam mantidos e não tragam efeitos negativos.

Mas isso é muito particular, se o jejum intermitente traz resultados e ajuda determinada pessoa, não quer dizer que vai fazer bem a todos que tentam.

O que importa é ter uma orientação e seguir uma dieta que te faça bem.

2. Qual a Dieta Adequada Para Quem Tem Gastrite e Esofagite?

Foto por Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Existem algumas orientações na alimentação que podem ajudar as pessoas que sofrem com essas doenças.

Alimentos ácidos e que causam azia devem ser evitados.

Quando os sintomas estão mais aparentes, é recomendável que a pessoa não tome café, evite frutas ácidas e alimentos que provoquem ainda mais os sintomas.

É importante que se evite deitar após as refeições, lembrar de comer sem pressa e em ambientes tranquilos, não ingerir líquidos junto das refeições e fracionar mais a dieta.

Por exemplo, se a dieta tem 4 refeições ao dia, é importante que fracione mais, com 6 ou 7 refeições, para que cada uma seja com o mínimo de comida possível.

Isso pode diminuir os efeitos colaterais causados pela gastrite e esofagite.

3. Muitas Pessoas Cortam Totalmente os Carboidratos da Alimentação. Quais as Consequências Dessa Atitude?

Foto por Foodiesfeed – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Os carboidratos são muito polêmicos.

Se fizermos isso, ao longo do tempo o organismo vai acabar criando uma resistência à falta de carboidratos, produzindo hormônios que geram ainda mais fome, pois trata-se de uma dieta restritiva.

O peso pode estagnar e não diminuir e pessoa passa a não perder mais gordura.

Quando o assunto é qualidade de vida, há uma divergência nos estudos científicos, pois não se sabe ao certo as consequências de uma dieta tão restritiva.

A dificuldade é que as pessoas não sabem escolher a melhor dieta para emagrecer, cortam muitos carboidratos e não procuram uma orientação correta.

É possível fazer uma dieta lowcarb com frutas, raízes e outros alimentos ricos em nutrientes.

Fazer uma dieta muito restritiva pode causar deficiência nutricional e efeitos colaterais no futuro.

4. A Dieta Lowcarb é a Melhor Opção para Quem tem Síndrome do Ovário Policístico (SOP)? Como a Alimentação pode Interferir Nesse Caso?

Foto por Freepic.diller – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Uma alimentação adequada ajuda quem tem a síndrome do ovário policístico; uma doença que pode desencadear resistência à insulina.

A dieta lowcarb é muito viável nesse caso.

Pode ser uma boa estratégia e trazer resultados positivos, evitando que os hormônios fiquem desregulados, diminuindo o nível de glicose e o excesso de peso, que são sintomas comuns da doença.

Mas para obter bons resultados e evitar efeitos negativos, isso deve ser feito com a orientação de um profissional.

5. Muitas Pessoas Falam Sobre a Importância de Comer de 3 em 3 Horas. Faz Sentido ou Devemos Comer Apenas Quando Sentimos com Fome?

Foto por Nensuria – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Com o tempo, criou-se a ideia de que comer de 3 em 3 horas acelera o metabolismo.

A verdade é que não existe uma regra.

Não quer dizer que todos que comem nesse intervalo de tempo vão ter o metabolismo mais acelerado, mas isso pode evitar que você queira comer coisas gordurosas.

Pois quanto maior é o tempo de jejum, mais coisas gordurosas a pessoa vai querer comer.

Se a pessoa optar por comer apenas quando sentir fome, deve ter mais controle nas próximas refeições.

6. Podemos Comer Frutas a Qualquer Hora ou só nos Intervalos das Refeições Principais?

Foto por Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Claro que podemos comer a qualquer hora!

Mas algumas dicas podem ajudar mais: você pode associar o consumo de frutas com alimentos ricos em gorduras boas, como castanhas, linhaça, amendoim, chia, pasta de amendoim ou até proteínas como frango, peixe, ovos, carnes, leite, iogurte e queijo; assim fica ainda melhor.

Não tem hora certa pra comer fruta, pode ser tanto nos intervalos das refeições ou nas próprias refeições principais.

7. A Intolerância à Lactose Pode Diminuir com o Tempo? A Alimentação Contribui Para que Isso Aconteça?

Foto por Asierromero – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: As pessoas intolerantes à lactose devem fazer um planejamento alimentar voltado às suas necessidades.

Pode ser que a intolerância diminua ao longo do tempo, principalmente se a intolerância não for crônica.

Algumas pessoas desenvolvem intolerância por apenas um período e ela vai embora desde que a pessoa saiba trata-la, cuidando da alimentação e seguindo as orientações dos médicos.

Fazendo isso, com o passar do tempo vai ser possível voltar a comer os alimentos que tenham lactose na composição.

8. É Comum ter Reações a Alimentos (ao camarão, por exemplo) Mesmo Sem Ter Alergia ou Intolerância? O Que acontece Nesse Caso?

Foto por Dashu83 – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Não é comum.

Quando isso acontece, o alimento está contaminado ou não foi preparado de forma adequada.

9. Qual a Melhor Dieta Para Emagrecer e Acelerar o Metabolismo de Quem já Passou dos 40 anos?

Foto por Jcomp – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Não é novidade que emagrecer depois dos 40 fica mais difícil.

O metabolismo fica mais lento, mas não é um objetivo impossível de se alcançar.

Alguns alimentos podem auxiliar – mas só auxiliar!

As pessoas nessa faixa etária devem praticar atividades físicas e investir em uma dieta bem pensada e calculada.

Por exemplo: uma refeição com a quantidade certa de proteínas pode causar um efeito termogênico – ajudando a acelerar o metabolismo e queimar mais gordura –, mas isso pode ficar ainda melhor com atividades físicas e uma dieta bem estruturada.

10. É Possível Perder Gordura e Manter a Massa Magra?

Foto por Freepic.diller – Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: É super possível!

Para obter esse resultado, deve haver planejamento e pensar na situação como um todo.

Se a pessoa precisa perder muita gordura, consequentemente, ela vai acabar perdendo massa magra, é praticamente inevitável.

Mas com algumas técnicas, a gente pode acabar diminuindo essa perca.

No caso de uma pessoa que precisa perder muitos quilos de gordura, é possível manter uma boa quantidade de massa magra e até o ganho dessa massa com atividade física.

Os exercícios precisam estimular o ganho de massa muscular, pois só a dieta não é suficiente.

A dieta precisa estar bem calculada, equilibrando a ingestão de proteínas e sem retirar totalmente os carboidratos.

11. Comer Pão e Macarrão Pode Prejudicar a Perda de Peso? Devemos Cortar de Vez os Carboidratos?

Foto por Freepik

Nutricionista Débora Oliveira: Não precisa cortar de vez, podemos adequar isso.

Mas para alcançar nossos objetivos, muitas vezes temos que abrir mão de algumas coisas que gostamos.

Diminuir a frequência do macarrão e substituir o pão por outro carboidrato pode ser uma boa alternativa.

 

Gostou dessas dicas sobre a melhor dieta para emagrecer?

Siga a nutri Débora Oliveira nas redes sociais para saber como emagrecer com saúde!

Aproveite e leia mais um artigo onde ela tira dúvidas sobre uso do óleo de coco.

Deixe seu comentário e compartilhe esse artigo!